Amazon convence Apple a remover analisador de publicações Fakespot da App Store

O Fakespot, um aplicativo que analisa as publicações da Amazon para determinar quais são falsas, não está mais disponível para iOS.

A Amazon convenceu a Apple a removê-lo da App Store depois que a empresa levantou preocupações de que o aplicativo fornece informações enganosas e cria potenciais vulnerabilidades de segurança. O gigante do comércio eletrônico confirmou ao Engadget que denunciou o Fakespot para investigação. Uma das suas maiores preocupações, segundo avançou a Amazon, é que o aplicativo redesenhado Fakespot, lançado em junho, “wraps” e injeta código em seu site.

“Wrapping” possibilitaria, em teoria, para o aplicativo coletar dados e colocar em risco as informações confidenciais dos clientes, incluindo números de cartão de crédito. Conforme o titã do comércio eletrônico, entrou em contato direto com a Fakespot para tratar das suas questões de segurança e que o desenvolvedor do aplicativo não agiu.

blank

A Amazon disse num comunicado:

“A Amazon trabalha muito para construir uma experiência de compra que encante os clientes e uma experiência de venda que capacite marcas e vendedores a construir e expandir os seus negócios. O aplicativo em questão fornece aos clientes informações enganosas sobre nossos vendedores e seus produtos, prejudicando os negócios de nossos vendedores e em potencial cria riscos de segurança. Agradecemos a análise da Apple deste aplicativo em relação às diretrizes da Appstore. “

O fundador e CEO da Fakespot, Saoud Khalifah, admitiu ao CNBC que a sua empresa coleta alguns dados do usuário, mas defendeu que não vende informações a terceiros. Além disso, ele nega a alegação da Amazon de que o aplicativo apresenta riscos de segurança. “Não roubamos as informações dos usuários, nunca fizemos isso. Eles não mostraram nenhuma prova e a Apple agiu com base na prova zero”, disse ele. Aparentemente, a Apple não deu à sua empresa um aviso adequado antes de o aplicativo ser removido e nem mesmo deu a chance de retificar qualquer problema que a gigante da tecnologia possa ter.

Embora a Apple ainda não tenha divulgado uma declaração que esclareça por que razão exatamente o Fakespot foi rmeovido, a Amazon apontou o Engadget para duas diretrizes da App Store, em particular. Uma dessas diretrizes afirma que um aplicativo que exibe conteúdo de um serviço de terceiros deve garantir a permissão desse serviço. O outro proíbe os aplicativos de exibir informações falsas.

No início de 2020, a Amazon foi atrás de outro add-on usado para rastrear preços e descontos: Honey, uma aquisição do PayPal. Pessoas que usam o Honey viram um aviso no site da Amazon que diz que a extensão “rastreia [seu] comportamento de compras privadas, coleta dados como [seu] histórico de pedidos e itens salvos, e pode ler ou alterar qualquer um de [seus] dados em qualquer site [eles ] Visita.”

Um porta-voz da Apple disse que entrou em contato com o Fakespot semanas antes de retirá-lo da App Store, contradizendo a afirmação de Khalifah de que sua empresa não recebeu um aviso adequado.

O porta-voz da Apple disse:

“Esta foi uma disputa sobre direitos de propriedade intelectual iniciada pela Amazon a 8 de junho e, em poucas horas, garantimos que ambas as partes estivessem em contato uma com a outra, explicando o problema e as medidas a serem tomadas pelo desenvolvedor para manter seu aplicativo na loja e dando-lhes bastante tempo para resolver o problema. No dia 29 de junho, entrámos em contato novamente com a Fakespot semanas antes de remover seu aplicativo da App Store. “

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here