A Microsoft e a Computação Quântica

O Noroeste do Pacífico é o local onde a Microsoft e outras Instituições esperam transformar no foco da computação Quântica.

A Microsoft Quantum, equipe de pesquisa da empresa dedicada ao setor, anunciou que está em perceria com o Pacific Northwest National Laboratory e a Universidade de Washington para formar uma coalizão chamada Northwest Quantum Nexus.  A coalizão planeia promover o desenvolvimento da computação quântica na região noroeste do Pacífico, bem como em partes do Canadá.

Será na Universidade de Washington que pesquisadores e autoridades de universidades, agências governamentais e empresas, se irão reunir dia 18 e 19 de Março, com o objetivo de incentivar os participantes a colaborarem em projetos e pesquisas de computação quântica.

“Estamos realmente num momento em que muitas empresas estão a começar a pensar sobre a promessa das ciências da informação quântica e a promessa da computação quântica, para resolver os problemas mais desafiadores do mundo”, disse Krysta Svore, gerente geral de software quântico da Microsoft.

Computadores padrão, como PCs e smartphones, processam e armazenam informações na forma de bits binários, zeros ou uns. Os computadores quânticos ,  por outro lado, processam e armazenam dados como “qubits”, que podem conter os valores zero e um simultaneamente. Essa diferença poderia permitir que eles realizassem cálculos exponencialmente em mais do que um determinado período de tempo, do que os computadores tradicionais, dando-lhes o potencial para resolver problemas imensamente mais complexos.

Por causa disso, a computação quântica é considerada uma das novas tecnologias mais promissoras, com aplicações potenciais em áreas que vão da descoberta de novas drogas à criptografia, passando por previsões de stock, até o cálculo de rotas mais eficientes para companhias aéreas ou militares.

Mas a tecnologia ainda está em seus estágios iniciais, e os analistas não esperam que os computadores quânticos superem os tradicionais por mais cinco ou dez anos.

Fonte

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here