51% dos colaboradores assiste a conteúdo para adultos nos dispositivos que utiliza para trabalhar em casa

Com as medidas de distanciamento social a tornarem-se mais comuns e os colaboradores a terem de se adaptar a novos ambientes de trabalho – incluindo as várias divisões das suas próprias casas – a barreira entre a vida privada e a vida profissional torna-se cada vez menor.

De acordo com as últimas conclusões do relatório da Kaspersky How COVID-19 changed the way people work , 51% dos indivíduos que se encontram a trabalhar a partir de casa e que começaram a assistir a mais conteúdo para adultos admitiram que os visualizam através dos mesmos dispositivos que utilizam para trabalhar.

O “novo normal” que os trabalhadores estão agora a enfrentar está a começar a ter impacto no equilíbrio entre a sua vida pessoal e profissional. Quase um terço (31%) dos mesmos admite que está a trabalhar mais tempo neste período de pandemia. Por outro lado, 46% revelou que tem mais tempo para se dedicar à sua esfera privada, o que poderá estar relacionado com o facto de agora não terem que de deslocar a tantos sítios ou viajar como antes.

O novo relatório da Kaspersky também permitiu concluir que está a tornar-se cada vez mais difícil para os trabalhadores separarem o trabalho da sua vida pessoal, especialmente no que diz respeito à área de IT. Tornando-se uma preocupação para as empresas, 51% dos trabalhadores inquiridos que admitiram ter começado a assistir a mais conteúdo para adultos desde que ficaram em teletrabalho, estão a utilizar os dispositivos que utilizam para trabalhar para ver este tipo de conteúdos. Cerca de um quinto (18%) dos trabalhadores chega, inclusive, a utilizar os dispositivos cedidos pela sua empresa e 33% revela que assiste a conteúdo para adultos em aparelhos pessoais, nos quais também fazem algumas tarefas relacionadas com o trabalho.

Adicionalmente, 55% afirma que está a ler mais notícias agora do que antes devido ao regime de teletrabalho. Apesar de ser compreensível que tal aconteça – uma vez que as pessoas querem manter-se atualizadas sobre os últimos desenvolvimentos da COVID-19 – 60% da sua atividade é realizada nos dispositivos que utilizam para trabalhar. E isto pode levar a potenciais infeções de malware, caso os colaboradores não sejam cuidadosos com os recursos e sites que visitam.

Além disso, os trabalhadores estão também a habituar-se a utilizar os seus dispositivos pessoais para trabalhar, aumentando assim potenciais riscos provenientes das “shadow IT”, que podem incluir a revelação de informação sensível. Por exemplo, 42% dos trabalhadores utiliza as suas contas pessoais de email para fins de trabalho, enquanto 49% dos mesmos admite que a sua utilização aumentou com o regime de teletrabalho. Já 38% utiliza messengers pessoais que não foram aprovados pelos departamentos de IT da sua empresa e 60% confessa que os utiliza ainda mais neste novo contexto.

“As organizações não podem satisfazer todos pedidos dos seus colaboradores, como permitir que as equipas utilizem os serviços que desejam. É necessário encontrar um equilíbrio entre a conveniência dos utilizadores, a necessidade da empresa e a segurança. Para conseguir garantir o mesmo, as empresas devem ceder o acesso a serviços com base no princípio de apenas fornecer privilégios mínimos e necessários, implementar uma VPN e utilizar sistemas corporativos seguros e aprovados. Este tipo de software pode ter certas restrições que reduzem ligeiramente a utilização, mas oferecem bastantes garantias no fornecimento de medidas de segurança”, comenta Andrey Evdokimov, Chief Information Security Officer da Kaspersky.

Para garantir que as empresas fazem tudo o que lhes seja possível para manter os colaboradores e os seus dados corporativos seguros, a Kaspersky recomenda as seguintes medidas:

  • Agendar uma sessão de formação e sensibilização básica de segurança para os seus colaboradores. A mesma poderá ser feita online e conter as práticas essenciais, como a gestão de contas e palavras-passe, segurança no email e de endpoint. A Kaspersky e a Area9 Lyceum prepararam um módulo gratuito para ajudar as equipas a trabalharem em segurança a partir de casa;
  • Garantir que dispositivos, softwares, aplicações e serviços são sempre atualizados com as últimas correções lançadas;
  • Instalar uma proteção de software comprovada, como o Kaspersky Endpoint Security Cloud, em todos os endpoints, incluindo dispositivos móveis, e ativar todas as firewalls. Qualquer solução que se utilize deve incluir proteção contra ciberameaças e email phishing.

Para colaboradores que estejam a trabalhar a partir de casa e a utilizar os seus dispositivos pessoais, a Kaspersky recomenda:

  • Utilizar uma solução de segurança de confiança, como o Kaspersky Security Cloud, para uma proteção alargada contra um conjunto vasto de ameaças;
  • Fazer download de conteúdos educativos e de entretenimento apenas de fontes de confiança.

Quer saber outras novidades? Veja em baixo as nossas Sugestões

Quer saber outras novidades? Veja em baixo as nossas Sugestões

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here