4G no Brasil tem dos piores índices de qualidade mundiais

Red Magic 3S

A qualidade dúbia das redes de comunicações de dados móveis no Brasil volta a ser colocada em evidência num relatório elaborado por especialistas. As redes 4G, que permitem um acesso muito rápido à Internet sem fios são as principais criticadas.

O estudo desenvolvido pela OpenSignal, que monitoriza a qualidade das redes de comunicações sem fios, menciona que o Brasil sil é um dos países com menor disponibilidade do padrão de comunicações 4G em todo o globo. Apenas em 55 de cada 100 tentativas os utilizadores conseguem ligar-se à Internet a alta velocidade a partir de dispositivos móveis. Ao todo, o estudo mediu a qualidade em 75 países, estando o Brasil posicionado na 70ª posição, a apenas 5 lugares da cauda do ranking.

O Brasil só supera a disponibilidade do 4G a territórios como o Paquistão (onde o acesso acontece em 53% das tentativas), Filipinas (52%), Irlanda (49%), Equador (41%) e Sri Lanka (40%). Ainda assim, os utilizadores conseguem conectar-se a redes com padrões de comunicação 2G e 3G.

O topo do ranking é encabeçado por países tecnologicamente muito poderosos. A Coreia do Sul lidera, com 96% de sucesso nas tentativas de ligação a 4G. Os restantes lugares são preenchidos por Japão, Noruega, Estados Unidos e Hong Kong.

Velocidade de ligação também em equação

Além do sucesso de ligação a redes 4G, a OpenSignal mediu também a velocidade das ligações móveis 4G e o Brasil voltou a registar valores medíocres (19,32 Mbps), em média, o que coloca o país na 47ª posição em termos globais, praticamente a par com outros países sulamericanos.

Os países que oferecem ligações mais rápidas a 4G do mundo o cenário repete-se com territórios do Oriente a liderarem. Singapura em primeiro lugar, com 45,62 Mbps, secundada pela Coreia do Sul, com 43,46 Mbps. O Top 5 é finalizado pelos europeus Hungria, Noruega e Países Baixos.

Ao todo foram medidas ligações de 558.260 utilizadores em 75 países, entre 1 de janeiro e 31 de março de 2017.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here